Vazamentos

A exposição de dados de 3.500 clientes no Banco do Nordeste.

O Banco do Nordeste tornou públicos mais de 3.500 pedidos de crédito solicitados por pequenos empresários, acompanhados de dados pessoais.


- Banco de Imagens / Banco do Nordeste

O Banco do Nordeste negou que o link estivesse acessível no site da instituição e acrescentou que o acesso aos dados já estaria bloqueado. A assessoria de imprensa do banco divulgou nota informando que havia sido instaurado um procedimento interno para apuração das falhas, "inclusive de possível desvio de conduta por vazamento de informação".

Apesar do Banco do Nordeste ser o maior operador de microcrédito do país e atender empreendedores da região, o Banco Central, responsável por regular o setor, diz que não comenta casos específicos.

A falha no site ficou disponível por pelo menos cinco dias e a Folha de SP, relata ter tido acesso ao link através de uma pesquisa no Google. De forma que chegou a uma base de dados de 3.500 clientes que haveriam solicitado crédito na instituição através da internet. Parte dos pedidos havia sido aprovada.

O site do banco possui um formulário em que contratantes preenchem dados pessoais e aguardam contato de um funcionário da instituição para concretizar o empréstimo. Os campos preenchidos possuem informações como nome, telefone e email do solicitante, a linha de crédito de interesse, CNPJ da empresa e faturamento anual, além de um campo onde a pessoa detalha o pedido.

Parte das solicitações vazadas eram referente à crédito para capital de giro, porém, alguns empreendedores deram relatos bastante específicos. Uma das solicitações explicitava a necessidade de "ajuda para não fechar" em seu pedido de crédito. A pandemia causada pelo coronavírus foi citada mais de uma vez. 

Alguns titulares dos dados, em contato com a Folha de SP, confirmaram a solicitação dos empréstimos via internet e queixaram-se a respeito da divulgação de seus dados pessoais. Um empresário de Olinda, atuante no segmento de food trucks, teria afirmado ter pedido crédito para abrir um novo negócio, pois estão parados na pandemia. "O banco errou bastante", afirmou o empresário.

A avaliação negativa se repetiu com outros pequenos empresários, em cidades do norte e nordeste do Brasil. Em Natal, uma empresária teria informado que seu crédito foi negado e que "não acha correto" a divulgação de dados pessoais.

Apesar das medidas tomadas pelo Banco Central, empresários continuam suas queixas sobre a dificuldade de acesso à crédito desde o agravamento do coronavírus no país. Aqueles que tiveram acesso ao crédito, relataram o aumento nas taxas de juro.

Comments